Americanas

Interpretação - Falar de si



Falar mal do outro parece fácil de entender. Mais que fazer uma crítica negativa é intensificar a crítica ao ponto de, por meio dela, destruir o objeto criticado. Porém aquele que fala, mal ou bem, sempre fala de si mesmo. Se falo mal do outro, realizo meu desejo violento em relação ao outro. Afirmo que não simpatizo, não gosto, mas, sobretudo, que preciso me expressar de modo negativo porque o outro me sugere aspectos negativos.

Porém quem se expressa sou eu. O elemento mais importante do gesto de falar mal é a auto-expressão negativa. Falo de mim mesmo ao falar do outro. Por outro lado, falando mal do outro, me sinto melhor comigo mesmo. Há ainda a ilusão da auto-compensação: ao falar mal do outro, mostro a mim mesmo que sou melhor que ele. TIBURI, Márcia. Revista vida simples. dez. 2008, pp.62-63. (Fragmento).
93B. (Cesgranrio-2009) Segundo o texto, quem fica em evidência no ato de falar mal é o(a)

(A) alvo da crítica.

(B)
teor da crítica.

(C) autor da crítica.

(D) auto-compensação provocada pela crítica feita.

(E) repercussão da crítica para o objeto criticado.

Justificativa.

A autora deixa claro que quem fala mal de alguém fala de si próprio ao falar de outro. Basta ver a seguinte passagem do texto: ”Porém quem se expressa sou eu. O elemento mais importante do gesto de falar mal é a auto-expressão negativa. Falo de mim mesmo ao falar do outro”. De outro lado, ademais, a autora firma posição de que, ao falar mal de outro, se sente melhor consigo mesma. Portanto quem fica em evidência é o autor da crítica.


Resposta: C.

Deixe sua opinião caso discorde ou tenha duvidas.